Número total de visualizações de página

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Cantata de Santa Maria de Iquique (parte 1)


A "Cantata de Santa Maria de Iquique" foi escrita pelo compositor chileno Luís Advis, em 1970, para ser interpretada pelo grupo Quilapayun. A cantata foi inspirada por um acontecimento histórico tragicamente célebre: a matança ocorrida, em 21 de Dezembro de 1907, na escola Santa Maria, na cidade de Iquique, no norte do Chile. O massacre de Iquique, executado pelo exército chileno, abateu-se indiscriminadamente sobre trabalhadores e seus familiares, velhos, mulheres e crianças. Mais de 3 mil pessoas foram chacinadas e a brutalidade da carnificina foi tal que silenciou, durante mais de dez anos, o movimento operário chileno. Tratava-se de homens que trabalhavam na extracção de salitre. A sobre-exploração a que estavam sujeitos por parte das companhias mineiras atingiu extremos insuportáveis e levou os trabalhadores a uma greve geral. Depois de vários dias em que tentaram, em vão, negociar, o governo chileno, pressionado pelas companhias estrangeiras, decidiu enviar o exército para acabar com a greve, com ordem para matar.
Foi um acto exemplar de barbárie, um episódio entre muitos outros nas inumeráveis lutas operárias pela obtenção de melhores condições de trabalho e de vida. Por isso, este massacre deve ser recordado como revelador da verdadeira natureza do capital, que só abre mão (e de forma muito limitada) dos seus privilégios e da sua ânsia de acumulação de riqueza quando as circunstâncias a isso o obrigam. Os direitos do trabalho e a melhoria das condições de vida dos trabalhadores, convém lembrá-lo, foram e serão sempre conquistados pela luta, nunca concedidos de moto próprio pelo capital.
Eis os primeiros versos da "Cantata de Santa Maria de Iquique":

Señoras y Señores
venimos a contar
aquello que la historia
no quiere recordar.
Pasó en el Norte Grande,
fue Iquique la ciudad.
Mil novecientos siete
marcó fatalidad.
Allí al pampino pobre
mataron por matar.

Sem comentários: